terça-feira, 29 de maio de 2012

Por onde anda o elenco de Os Batutinhas?

Por Davi de Castro
Os Batutinhas (1994)


Eles aprontaram mil e umas. Fizeram uma verdadeira guerra dos sexos. O "clube da Luluzinha", liderado pela mini diva e arrebatadora de corações Darla, contra o "clube do Bolinha", denominado Clube dos Homens que Detestam as Mulheres (risos), fundado por Batatinha e o eterno-apaixonado Alfalfa, que acaba traindo o próprio movimento e se vê enfeitiçado pelos encantos de Darla. Aí já viu, né? Confusão em grande estilo. Eles alegravam as nossas sessões da tarde na década de 1990. A turma de pestinhas mais encantadora e divertida, sem dúvida. Mas, por onde anda esse elenco? Como estão e o que fazem essa galerinha?


Nota da editora: eu curti!

Batatinha (Travis Tedford)
Em 1994, o baixinho e bochechudo Travis Tedford estrelou Os Batutinhas, no papel do Batatinha, meu personagem favorito no filme. Batatinha era um líder e tanto. Centrado e muito obstinado. Quase foi "corrompido" pelos encantos de Darla, mas resistiu bravamente (risos). Travis ganhou destaque também por ser garoto propaganda da marca Welch (vídeo abaixo). Fez outros filmes e participou de alguns seriados, mas nenhum de muito sucesso. Hoje, com 23 anos, é formado em Arte Livre pela Trinity Valley Community College.





Alfalfa (Brandon Hall, apelido: "Bugg")
Brandon Hall deu vida ao desastrado e engraçado Alfafa. Hoje, com 27 anos, continua na ativa, apesar de manter um intervalo maior entre cada trabalho. Ao todo, depois de Os Batutinhas, já participou de mais 21 produções, entre longas e seriados. Entre as mais conhecidas, o ator fez participações em CSI: Crime Scene Investigation (2004), Cold Case (2005), The OC (2006), CSI: Miami (2006), American Pie: Book of Love (2009) e, a mais recente, Nikita (2010).


Darla (Brittany Ashton Holmes)
Quem nunca deu longos suspiros, quando criança, para os encantos de Darla? Linda, delicada e meiga. Pena que sua carreira tenha durado tão pouco. A última produção que participou foi em Inhumanoid, em 1996, e uma aparição em Humanoids from the Deep, no mesmo ano.



Stymie (Kevin Jamal Woods)
Antes de fazer os Batutinhas, Kevin (hoje com 25 anos) participou de A Perfect World, filme dirigido por Clint Eastwood, em 1993. Também participou das séries Blossom, Hope, e The Brainiacs.com. Não tem-se registros atuais de outros trabalhos artísticos.


O nerd de ontem pode ser o bonitão de amanhã. #dicadaeditora

Froggy (Jordan Warkol)
Froggy era o que tinha mais cara de nerd. O apelido maldoso, no filme, era porque ele tinha cara de sapo, coitado. Além dos Batutinhas, participou de outras 24 produções, incluindo filmes, séries de tv e comerciais. A mais recente foi uma dublagem para um curta-metragem, em 2006.

Tenho dois picles e é isso que importa.
Buckwheat (Ross Bagley)
Ross é o único que seu papel mais conhecido não é o dos Batutinhas. É famoso pelo papel de Nicky Banks em Um maluco no pedaço. Também participou de outra produção ao lado de Will Smith: Independence Day (1996), como Dylan Dubrow. A última participação na Tv foi no seriado A Juíza, em 2004.



Porky (Zachary Mabry)
Ele foi o chaveirinho da turma. Fez o pentelho Porky com apenas 4 anos de idade. Porky e seu fiel escudeiro Buckwheat eram uma diversão à parte em Os Batutinhas. E é uma pena que o ator não tenha feito mais nada, nem no cinema nem na TV.



Eu não fiz Esqueceram de Mim

Waldo (Blake McIver Ewing)
O riquinho-chatinho-antagonista disputava o coração de Darla com Alfalfa. Convenhamos, ele era a cara do Macaulay Culkin. Participou de algumas séries e filmes para a TV depois de Os Batutinhas, mas a maioria como dublador de personagens de animação. A última produção que fez parte foi a dublagem de um personagem na série Father of the Pride, em 2004.


Os Batutinhas é um clássico. Marcou a minha infância e deve ter marcado a de muitos também. Vamos matar um pouco a saudade?



Siga-nos!
@davidecastro
@centraldecinema

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Crítica | Homens de Preto 3 - MIB 3

Por Thandy Yung

Após um hiato de 10 anos, o terceiro episódio da franquia Homens de Preto (MIB) chega aos cinemas nesta sexta-feira. Voltando a 1997, a fórmula apresentada no primeiro filme se repete e a mescla entre ação, ficção científica e humor é perfeita, garantindo momentos de diversão. Com a missão de apagar da memória do público o fiasco da segunda produção da série, MIB 3 se mantém em uma zona de conforto e peca ao não apresentar novidades para o público.




Tudo começa quando Boris, o Animal (Jemaine Clement) consegue escapar da prisão e sai atrás daquele que o prendeu, K (Tommy Lee Jones). Mas o seu plano não se restringe apenas a vingar os últimos 40 anos em que passou na prisão. Ele decide voltar no tempo para matar o seu captor e ainda impedir que toda a sua raça seja extinta. Ao obter êxito na sua missão, vemos uma realidade que não se lembra mais da existência do agente K e sofre uma invasão alienígena. Cabe então a J (Will Smith) voltar também no tempo e impedir que tudo isso aconteça.

Há 15 anos, os Homens de Preto mostraram ao mundo que era possível conviver de maneira harmoniosa com alienígenas. Com a ideia quase debutando, o que foi a grande sacada do primeiro episódio se torna apenas mais no mesmo. Assim, MIB 3 entra na lista de continuações que cometem sempre o mesmo pecado: não há novidades. A reciclagem pura e simples de uma ideia não faz com que ela seja tão boa quanto no passado e aqui, mais uma vez, temos a preocupação principal voltada à bilheteria.



As cinco pessoas responsáveis e a finalização do roteiro após o início das filmagens fica explícita na simplicidade para solucionar alguns momentos. Como, por exemplo, as sempre complexas viagens no tempo. Aqui, joga-se a responsabilidade sobre Griffin (Michael Stuhlbarg), um alienígena que prevê o futuro, e que acaba sendo uma espécie de guia-turístico, tirando todas as dúvidas.

Quando não há trama que sustente o filme por si só, a tática sempre é apostar nas cenas de ação. As perseguições e cenas de confronto com Boris parecem que não puderam usufruir de tudo o que a atual computação gráfica oferece. Os efeitos especiais que o longa entrega não justificam, nem de longe, os gastos com o filme. Mas nem tudo está perdido, e o trabalho de Rick Baker na preparação dos alíens merece destaque. Os ETs estão ainda mais bizarros e asquerosos.


Apesar de estar presente em todas as cenas do filme – e ser responsável por chamar seus fiéis fãs às sessões – Will Smith não é o destaque de atuação. Nesse ponto, Josh Brolin rouba a cena e protagoniza as sacadas mais sutis e inteligentes. Vale destacar que Brolin não tenta ser um Tommy Lee Jones mais novo, o ator consegue se desvincular do protagonista idoso e faz sua própria versão do Agente K, muito mais leve e bem humorado. Algo bem parecido com o trabalho de Michael Fassbender como Magneto em X-Men Primeira Classe.

Ao final, o filme entrega uma cena que quebra todo o ritmo do longa. O momento parece fazer parte de outra produção e não se encaixa muito no clima de aliens e sarcasmo dos engravatados. Apesar de causar estranheza, o último momento de J no passado consegue explicar muito bem como K se tornou um velho ranzinza e como o personagem de Will Smith conseguiu o direito de usar o terno preto.

Sigam-me os bons!
@thandyung e @centraldecinema

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Retrospectiva Homens de Preto - MIB II

Por Lucas Madureira

Algumas dicas para quando for assistir esse filme:
1 - Se tiver o estômago fraco, não assista enquanto estiver almoçando.
2 - Se tiver o estômago fraco, não assista enquanto estiver jantando.
3 - Se tiver o estômago fraco, não assista enquanto estiver comendo.


Dicas dadas, então vamos ao filme. MIB - Homens de Preto (Men In Black) II é de 2002 e é a continuação da franquia que teve início em 1997. Dessa vez, o Agente J (Will Smith) precisa da ajuda de seu velho parceiro, o Agente K (Tommy Lee Jones), pois só ele tem a chave para resolver o problema.

Esse era o problema:
(Narração do filme) "1978, os líderes dos Zarta fogem de seu planeta para escapar da maligna Kaylotiana, Seerleena (Lara Flynn Boyle). Ao chegar à Terra, os Zartanianos trouxeram o seu maior tesoura, a Luz de Zarta, uma força cósmica tão poderosa que, se caísse em mão erradas, poderia levar a destruição de Zarta. A princesa de Zarta implorou aos Homens de Preto que escondessem aquela luz de Seerleena, mas eles nada puderam fazer... "


Os Homens de Preto, segundo o protocolo, não poderiam ajudar a princesa Zartaniana, mas quem é que segue o protocolo? 24 anos depois, em 2002, Seerleena descobre que alguém sabe onde está a Luz de Zarta. Esse alguém é o Agente K, porém, ele foi neuralizado, ou seja, apagaram a memória dele. Agora o Agente J precisa restaurar a memória de K e tentar impedir Seerleena.


O longa é dirigido por Barry Sonnenfeld, que também está a frente do próximo filme da franquia. São aproximadamente 88 minutos de ação misturados com ficção científica e comédia. É um bom filme, só não assista quando estiver comendo, muita cena de Alien estranho explodindo.
E quem ainda não teve o prazer de assistir, corra e veja antes da estréia de Homens de Preto III.

Viram o Trailler do terceiro filme? Ainda não? Então assistam aí


Leia a crítica de Homens de Preto 3!

Ei, fiquem de olho nas novidades do blog por meio do nosso twitter, é @centraldecinema











MIB II em DVD e Blu-Ray









MIB I + II em DVD e Blu-Ray

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Retrospectiva Homens de Preto | MIB I

Por Davi de Castro


Eles estão entre nós. Disfarçados de taxistas, de caixa de banco, de padeiro. De artistas. Até o próprio Elvis Presley seria um deles. E, sim, o cantor não morreu. Apenas retornou ao seu mundo de origem. É o que explica Homens de Preto (Men in Black – MIB), a mistura de ficção científica com comédia lançada nos idos de 1997. O filme, estrelado por Will Smith e Tommy Lee Jones, conta a história de uma agência secreta responsável pelo contato, monitoramento e controle de atividades alienígenas no planeta Terra, os quais são categorizados por espécies, algumas boas, outras mal-intencionadas.

Com efeitos especiais que hoje em dia já não convencem muito, vemos a saga do veterano agente K (Tommy Lee Jones) à caça de extraterrestres foragidos. Em função da aposentadoria de seu parceiro, entra em cena o enérgico (e desajeitado) policial local James Edward (Will Smith). Apesar de ser desprovido de formalidades e um tanto ‘fora dos padrões’ da agência, James acaba sendo escolhido para integrar o seleto time dos ‘homens de preto’, em seus habituais ternos e óculos escuros. E se num passado um pouco distante essa era a marca registrada dos agentes, atualmente a primeira associação que fazemos da vestimenta é com os inconvenientes repórteres do CQC (uma pena, né? O filme é bem melhor que o pretensioso programa de ‘humor inteligente’).

Se a vida fora da terra já era um tema batido em 1997, o diferencial de ‘Homens de Preto’ é justamente o pitoresco senso de humor, que vai desde a configuração de criaturas que se tornam engraçadas pela bizarrice, piadinhas e tiradas inusitadas sobre artistas, políticos e alguns contextos a cenas que beiram o pastelão, como a que James tem que fazer o parto de uma ET travestida de humana. O tom, assim, acaba pesando a atuação de alguns, como o do vilão, tornando-se bem caricatos.

A aparente tranquilidade da agência, com inúmeros aliens convivendo pacificamente com humanos, é ameaçada com a entrada de uma perigosa espécie de ET's: os insetos. Alojando-se no corpo de Edgar (Vincent D'Onofrio), um tipo de barata alienígena chega ao planeta com planos malignos. Almeja se apossar de um amuleto que contém uma galáxia. Para isso, mata uma série de aliens ‘do bem’, o que gera revolta nos familiares conterrâneos da outra galáxia, que ameaçam destruir a Terra caso o amuleto não seja devolvido. K e James entram em missão: têm uma hora para salvar a humanidade.

O roteiro apresenta soluções simplistas e também algumas falhas, muitas ações, por exemplo, são incoerentes ou nos deixam com uma pulga atrás da orelha (como o vilão descobre que o gato que porta o amuleto galáctico está com a legista? Se ele conhecia a jóia, por que não a pegou quando matou seu dono e foi ameaçado pelo gato?).  Além da fraca (para não dizer pobre) direção de arte, com cenários pouco convincentes, o filme ainda tem uma direção (Barry Sonnenfeld) que peca pelo excesso e pela falta de um padrão visual (os plongées, por exemplo, são excessivos e usados indiscriminadamente).

Ao livrar a Terra de uma guerra entre mundos, a parceria com K pelo visto chega ao fim (o que é uma pena, Smith e Jones formam uma bela – e desajeitada – dupla). O vetereno, já velho, se mostra cansado daquela vida secreta, sobretudo depois de conhecer as entranhas de um ET, e declara: “Não treinei um parceiro, treinei um substituto”. Interessante despedida não fosse pelo fato de que, cronologicamente, esse ‘treinamento’ mal tivesse durado dois dias, apesar de na trama esse tempo parecer bem maior. A legista (e o que tudo indica ‘mocinha’), que observou todo o desenrolar da história, torna-se a nova parceira. Vem mais por aí. 

Leia também: Retrospectiva Homens de Preto - MIB II 

@davidecastro









MIB I em DVD e Blu-Ray

sexta-feira, 4 de maio de 2012

CAnTORES que atuam

Por Lucas Madureira

E aí, galera? Este post é sobre aqueles cantores que curtem/insistem dar as caras nas telonas. Prontos para soltar a voz? É isso mesmo! Quero que vocês leiam o post, lembrem do cantor/ator e se divirtam cantando as músicas deles.

Ahazei no delineador dourado


Claro que reconhecem ele, né? O cantor/ator/produtor/rico Lenny Kravitz fez parte do elenco de Jogos vorazes. Kravitz, em minha humilde opinião, atuou bem. E vamos combinar, o filme ajuda muito! É realmente muito bom. O que??? Ainda não assistiu??? Tá perdendo um filmão! O cantor/ator/produtor/músico/rico atuou em outros filmes também, como Preciosa (2009), Zoolander (2001) e Being Mick (2001), sendo que nos dois últimos ele interpretou (nada mais, nada menos que) ele mesmo.


Reconheceram a Diva? Impossível não saber quem ela é, não é mesmo? Beyoncé atuou em alguns longas. O último (o da foto) foi Cadillac Records (2008).  A maravilhosa  fez parte do elenco de Carmen: a Hip Hopera (2001), Austin Powers in Goldmember (2002), A Pantera cor de rosa (2006) e Dreamgirls (2006). A cantora está cotada para o remake de Nasce uma estrela, mas as gravações foram adiadas por conta da gravidez da Diva. E aí? Preferem ela como atriz ou cantora? Ou de qualquer jeito? (ps: que mulher!)


 nota da editora: SEU LINDO!

Aí está ele, Justin Timberlake. O cantor/rico/ator/rico/tudo-que-ele-quiser também deixou sua marca nas telonas do cinema. Justin participou de A Rede Social,  O preço do amanhã (2011),  Amizade colorida (2011), Professora sem classe (2011) [NÃO ASSISTAM ESSE FILME! É HORRÍVEL], Alpha Dog (2007), Southland Tales - O fim do mundo (2006), Edison - Poder e Corrupção (2005) e Na linha do trem (2001). Ele melhorou muito nesses 10 anos de atuação. Mas insisto em dizer, Professora sem Classe queima a carreira de qualquer um. uahuahua



Eu não sei do que eu devo chamá-la, de atriz ou cantora? Realmente não tenho ideia, não depois do google me mostrar a filmografia dela. Jennifer Lopez tem 27 filmes nas costas, isso mesmo VINTE E SETE! A linda/rica/diva/atriz/cantora/lindanovamente fez sucesso nos palcos e nas telonas. A foto é dela atuando em A Sogra (2005), mas seu maior rendimento ($$) aconteceu em Encontro de Amor (2002). Eu acredito que ela tem cara de comédia romântica. Quando me fala de J. Lopez só me vem na cabeça A Sogra e Plano B (2010). Concordam comigo? NÃO? Oo ... Tudo bem. Posso viver com essa.

like a virgin.

E quem nunca assistiu um filme com a Rainha do pop? Madonna carrega em sua bagagem cerca de 23 filmes. Na foto ela está atuando em Uma equipe muito especial (1992), filme ao qual ela interpreta uma jogadora da liga feminina de baseball. A rainha também é lembrada pela atuação em 007 - Um novo dia para morrer (2002). E aí? Gosta da diva nos cinemas? Prefere ela cantando ou atuando?



Will Smith é cantor ou ator? Eu o considero ator, mas ele também canta. Ele é rapper! Os longas mais conhecidos dele são Independece Day (1996), MIB - Homens de preto (1997, 2002, 2012), A procura da Felicidade (2006), Eu robô (2004), Eu sou a lenda (2007), Hitch - conselheiro amoroso (2005), Bad Boys (1995 e 2003), Hancock (2008)  ... Acabei de perceber que ficarei falando da filmografia dele para sempre! Sou fã.

Olha, poderia ficar aqui para sempre falando dos cantores que atuam, como Britney Spears em Crossroads - Amigas para sempre (2000) [QUE FILME CHATO], Rihanna em Battleship (2012) [ps: parece que a cantora irá fazer uma vilã no próximo Velozes e Furiosos], Bon Jovi em A corrente do bem (2000), Mariah Carey em Preciosa (2009)  e Glitter - O Brilho de uma Estrela (2001) e tantos outros, mas resolvi citar alguns cAnTORES nacionais também.



E aí? Lembram dos irmãos Sandy e Júnior tentando ser atores? Pois é, os mais lembrados são Acquária (2003) e O Noviço Rebelde (1997). Eu gosto mais do Noviço Rebelde, porque o outro não foi lá essas coisas.


Seu Jorge é lembrado pela sua ótima atuação em Tropa de Elite 2 (2010) e Cidade de Deus (2002). Em Tropa de Elite, Seu Jorge atuou MUITO! Me convenceu bastante como bandido.


MV Bill também entrou nas telonas em Sonhos Roubados (2009). Gostaram da atuação do rapper?

E aí? Preferem eles como atores ou cantores? Deixe sua opinião nos comentários.

E que tal antes de sair do post soltar a voz? Pois é, o youtube tem várias músicas deles em Karaokê. Aí vão algumas:






Nasceram para cantar? Sim? Não? Quero saber o desempenho de vocês!!!

E não deixem de nos seguir no twitter @centraldecinema e @lucasmadureira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...