sábado, 16 de abril de 2011

Prodígios!

Por Davi de Castro, a convite do Central de Cinema

Apesar da tenra idade e do pequeno tamanho em tela, eles conseguiam chamar a atenção e roubar a cena com uma atuação digna de gente grande. Estes pequenos notáveis tiveram uma infância bem peculiar, cresceram no mundo mágico do cinema, em meio a estrelas e grandes produções. Sacrificaram parte da melhor idade da vida, é verdade, mas entraram para a história do cinema e os que souberam (ou contaram com a ajuda de pais conscientes) administrar bem a carreira e a vida pessoal, seguem fazendo arte e ganhando muito dinheiro até hoje. No entanto, boa parte deles, é uma pena, enfrentou muitos percalços, como problemas com drogas e alcoolismo, e hoje caiu no ostracismo. Seria uma espécie de maldição essa triste sina ou apenas uma infeliz coincidência? Abaixo, uma lista com treze (número místico!) crianças prodígios que encantaram e marcaram a história de Hollywood:



13) Shirley Temple
Ela foi a maior estrela mirim da década de 1930 e uma das primeiras crianças prodígios do cinema, participando de filmes desde os três anos. Aos cinco, sua carreira já estava consolidada e até comercializava produtos com seu nome, como bonecas, vestidos, canecas e bonés. Com um sorriso encantador e personalidade otimista, Shirley ajudou os filmes a faturarem milhões (e a salvar até mesmo os estúdios Fox), principalmente durante a Grande Depressão nos Estados Unidos. Ela ganhou um Oscar especial aos seis anos de idade e o reconhecimento até do presidente norte-americano Franklin D. Roosevelt, que a agradeceu por "ter feito a América atravessar a Grande Depressão com um sorriso". Depois de adulta, não teve o mesmo sucesso e se aposentou do cinema em 1949, tentando a sorte na carreira política e diplomática. Em 1974, foi embaixadora americana em Ghana e, em 1989, na Tchecoslováquia. Seus filmes de maior destaque foram: "Little Miss Marker", "Stand Up and Cheer", "The Littlest Rebel", "Rebecca of Sunnybrook Farm" e "The Little Colonel".



12) Michael Oliver
Ele ficou conhecido pelo único papel de peso que teve: o enérgico Júnior em “O Pestinha” (1990), quando tinha nove anos. A carreira desmoronou nos anos seguintes, não por problemas pessoais relacionados ao álcool e outras drogas (ufa!), mas pela ganância de sua mãe. É que após o sucesso do primeiro filme, a Universal Pictures logo tratou de acertar a participação do garoto na sequência da obra por um cachê de U$80 mil. Acontece que, às vésperas das filmagens, a mãe do ator disse que só permitiria que o filho gravasse caso a remuneração aumentasse para U$500 mil. Para não perder o investimento que já tinha feito, a Universal aceitou a proposta e pagou metade do valor, alegando que o restante seria acertado ao término do trabalho. Quando o filme ficou pronto, o estúdio não só não pagou o valor, como entrou com uma ação contra a mãe do garoto por extorsão, e ela acabou tendo de devolver cerca de U$170 mil. “O Pestinha 2” (1991) não teve o rendimento esperado e o garoto foi parar na geladeira. Participou ainda de dois seriados e um filme, mas sem muita repercussão. Michael deu adeus à Hollywood e hoje é técnico de som de bandas independentes.



11) Haley Joel Osment
Quem não se lembra da célebre frase “I see dead people” (Eu vejo gente morta), mesmo que não tenha assistido ao suspense “O Sexto Sentido” (1999)? Pois é, a frase ficou famosa na boca de Haley, que viveu o garoto Cole, atormentado por espíritos no filme. A atuação lhe rendeu nada menos que uma indicação ao Oscar, sendo o 8º ator mais jovem a receber uma nomeação. O primeiro filme que lhe deu notoriedade, porém, veio antes dessa consagração. Ele viveu, aos seis anos, o filho de Tom Hanks em “Forrest Gump - O Contador de História” (1994). Depois de trabalhar com Steven Spielberg em “A.I. - Inteligência Artificial” (2001), Haley não fez mais nenhum trabalho de relevância. Recentemente, foi preso por dirigir embriagado e por porte de drogas.



10) Danny Lloyd
Ele tinha apenas seis anos quando impressionou e assustou o mundo com sua atuação em “O Iluminado” (1980). Stanley Kubrick foi quem o escolheu, em uma seleção com mais de cinco mil crianças que durou meses. Para protegê-lo, Kubrick não disse que o filme era de terror, mas de drama. O garoto só descobriu a verdade aos 13 anos. Depois do filme, Danny fez apenas mais um, só que para a TV – “Will: The Autobiography of G. Gordon Liddy” (1982). O garoto sempre foi recluso, deu raras entrevistas e no ano passado descobriu-se que virou professor de biologia.



9) Christina Ricci
Estreou no cinema aos dez anos, ao lado de Winona Ryder e Cher, em “Minha Mãe é uma Sereia” (1990). Mas o estrelato só chegou um ano depois com a inesquecível Vandinha de “A Família Addams” (1991), consolidado mais à frente, em 1995, com o papel principal em “Gasparzinho, o Fantasminha Camarada”. Em 1999, participou do longa de Tim Burton “A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça”. Christina mostrou toda sua desenvoltura nesses papéis tão distintos e marcantes. Recentemente, atuou em “Alpha e Ômega” e em “Nova York, Eu Te Amo”.



8) Anna Paquin
Aos nove anos, Anna conseguiu o papel de Flora no filme “O Piano” (1993) e impressionou a todos, levando uma série de prêmios, inclusive o Oscar de melhor atriz coadjuvante, tornando-se a segunda mais jovem a ser premiada. Depois participou de vários filmes, alçando-se ao posto de estrela com a franquia “X-Men” (2000). Atualmente com 28 anos, Anna protagoniza a premiada série vampiresca “True Blood”, desde 2008. Pelo papel de Sookie Stackhouse, a atriz ganhou um Globo de Ouro de melhor atriz em série dramática. Anna recebeu treze prêmios ao longo da carreira.



7) Kirsten Dunst
Ao lado de Tom Cruise e Brad Pitt, Kirsten fez sua estreia com o filme “Entrevista com o Vampiro” (1994), aos 12 anos. Na pele da vampirinha Claudia, a atriz recebeu muitos elogios e inclusive uma indicação ao Globo de Ouro. Já adulta, se destacou com a doce e linda Mary Jane, nos longas mais bem-sucedidos que participou, a franquia “Homem-Aranha”. Em 2008, viu-se em uma crise depressiva e buscou tratamento em um centro médico em Utah.



6) Lindsay Lohan
A problemática atriz, constante alvo de escândalos envolvendo álcool, drogas e a justiça norte-americana, ganhou fama aos 12 anos interpretando irmãs gêmeas no filme “Operação Cupido” (1998). Estrela da Disney, tornou-se ícone teen nos anos 2000. Fez sucesso também, já adulta, nos filmes “Sexta-Feira Muito Louca” (2003) e “Meninas Malvadas” (2004). Sua carreira é repleta de altos e baixos. Hoje, ela tenta voltar à ativa depois da prisão que passou no último ano. É um dos expoentes da sina que assola boa parte das crianças prodígios.



5) Drew Barrymore
Nascida em uma família de atores, Barrymore entrou para o ramo cedo. Aos cinco anos, fez sua estréia em “Viagens Alucinantes” (1980). Conseguiu deslanchar na carreira no segundo filme, vivendo a encantadora Gertie em “E.T.- O Extraterrestre” (1982), do eminente caçador de talentos mirins Spielberg. Aos nove, foi indicada ao Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante por seu papel em “Irreconcilable Differences”. Depois de enfrentar uma fase turbulenta na adolescência, marcada pelo abuso de álcool e drogas, Barrymore conseguiu se restabelecer, voltar aos cinemas e meio que especializar-se em comédias românticas, trabalhando inclusive nos papéis de produção e direção. Entre os filmes de maior destaque estão “As Panteras” (2000), “Como se fosse a primeira vez” (2004) e “Garota Fantástica” (2009). Barrymore é a prova de que é possível contornar o mal que assola as crianças prodígios de Hollywood, dando a volta por cima.



4) Elizabeth Taylor
Um dos maiores nomes do cinema, Liz, como era chamada, foi descoberta aos dez anos de idade, quando filmou “There's One Born Every Minute” (1942). O contrato da pequena notável, porém, não fora renovado pela Universal. Só no ano seguinte, com um pequeno papel na série “Lassie Come Home” (1943), Liz revelaria de fato o seu talento. Na década de 1950, atuou em dramas como “Um lugar ao sol” (1951) e “Assim caminha a humanidade” (1956), evoluindo como atriz e conquistando o respeito da crítica. A garotinha que teve um tímido começo nas telas do cinema havia crescido e logo foi reverenciada como uma das mulheres mais belas de todos os tempos. Mas a vida da criança prodígio nem sempre foi só flores, ela já teve problemas com álcool e drogas e também virou piada por causa dos inúmeros casamentos (oito, no total). Liz recebeu dois Oscars, três Globos de Ouro e um BAFTA. A trajetória um tanto turbulenta, no entanto, não ofuscou a belíssima carreira da atriz, que morreu em março deste ano consagrada como uma das maiores atrizes que já existiu.



3) Christian Bale
O astro de “Psicopata Americano” (2000) começou sua carreira nos cinemas aos 13 anos (desde os dez já atuava em teatro), quando foi escolhido pessoalmente por Steve Spielberg para estrelar – com uma atuação impressionante – “Império do Sol” (1987), vencendo cerca de 400 outras crianças que lutavam pelo papel. A partir daí sua infância nunca mais foi a mesma e ele não parou de fazer filmes, sendo consagrado, já adulto, por papéis em “Batman Begins”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “O Grande Truque”. Nenhum deles, porém, lhe rendeu indicações a prêmios (que injustiça!) como o papel do ex-lutador Dicky em “O Vencedor” (2010). Ele ganhou o Globo de Ouro, o SAG (Sindicato de Atores) e ainda o Oscar 2011, na categoria ator coadjuvante. Sem dúvida, é uma das mais bem-sucedidas ex-crianças prodígios.



2) Natalie Portman
Aos 29 anos, Natalie Portman atingiu o auge da fama com a brilhante atuação em “Cisne Negro” (2010), como a bailarina Nina, papel que lhe garantiu as principais premiações deste ano (Oscar, Globo de Ouro, SAG, BAFTA e até o Independent Spirit Awards). Mas a carreira dessa jovem que encantou o mundo (e a Academia) iniciou há quase duas décadas, quando tinha apenas 12 anos. Sua estréia foi no filme “Léon” (1994), de Luc Besson, que pelo sucesso lhe rendeu novos convites, inclusive em películas de Woody Allen e Tim Burton. Com 17 anos, conseguiu sua primeira indicação a melhor atriz coadjuvante no Globo de Ouro com o filme “Anywhere But Here” (1999). A fama, contudo, só chegou em 1999 quando interpretou a até hoje aclamada rainha Padmé Amidala na trilogia “Star Wars”. Outros dois destaques da carreira foram os filmes “Closer – Perto demais” (2004), em que interpreta uma stripper, e “V de Vingança” (2006). Pelo papel em “Closer”, a atriz ganhou o Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante e recebeu ainda uma indicação ao Oscar, em 2005. Portman é, talvez, o caso de maior sucesso entre os que começaram a carreira cedo. Além de continuar em alta, a atriz nunca se envolveu em escândalos e, paralelamente aos trabalhos artísticos, conseguiu graduar-se em Psicologia pela Universidade de Harvard, em 2003. Centrada e focada no que faz, a atriz desmistifica a sina que cai sobre as crianças prodígios.



1) Macaulay Culkin
Quando se pensa em crianças prodígios, o primeiro nome que vem à mente é o dele. Macaulay Culkin é a representação típica desse estereótipo. Seja pelas incríveis perfomances nos filmes de sucesso que fez, seja pelo destino tão remoto que imaginaríamos para aquele garoto – de talento tão promissor. Começou a carreira aos cinco anos em “The Midnight Hour” (1985), mas foi aos dez que começou a fazer sucesso, despontando no papel principal da série de filmes “Esqueceram de Mim” (1990). Depois, brilhou em “Meu Primeiro Amor” (1991), “O Anjo Malvado” (1993) e “Riquinho” (1994), conquistando uma fortuna de 17 milhões de dólares, o que foi motivo de disputas judiciais com seus pais. Ficou afastado das telas até 2003, quando, aos 23 anos, retornou em uma produção alternativa – o filme “Party Monster”, em que viveu um personagem homossexual. De lá pra cá, participou de poucos filmes, todos sem muita repercussão. Em 2004, foi preso por posse de mais de 17kg de maconha.



Davi no Twitter: @davidecastro

10 comentários:

  1. O post foi muito bem inteligente, e exigiu uma pesquisa massa.
    Bem elaborado.
    Mas acho que faltou uma cadeira de honra às gêmeas Olsen! ;)
    Elas marcaram uma geração de filmes com crianças iguais.
    :p

    (acho que tirando o filme da Lindsay, elas fizeram todos os filmes com gêmeas do mundo)

    ResponderExcluir
  2. Vlw, Thandy. Também faltou minha linda Anne Hathaway, mas deixei fora pq queria fechar um pacote com 13. Quem sabe vem uma segunda leva aí (ainda faltam tantos) pro dia das crianças! =D

    ResponderExcluir
  3. cadê a Linda Blair do Exorcista nessa porra aí???!

    ResponderExcluir
  4. Lindsay Lohan nesta lista???? Nunca foi criança prodígio!!!
    Natalie Portman na frente de Christian Bale???? Outro absusrdo.

    ResponderExcluir
  5. para mim Natalie Portman adoro o papel dela no filme leon, por fale nele vou até assisti-lo tenho em dvd xD
    quem é que não se emociona com a parte do filme em que ela pede para entrar na casa do vizinho enquanto os país e o irmãozinho estão sendo mortos.

    ResponderExcluir
  6. Prodígio no cinema é a inteligentíssima Dakota Fenning, com certeza faltou ela.

    ResponderExcluir
  7. Lembrando que esse não é um ranking e também não é uma lista com todos os prodígios do cinema! A ordem dos fatores aqui não vai alterar o produto. E sim! Faltam muitos! Outros posts virão. ;)

    ResponderExcluir
  8. Galera, essa seleção aí não engloba todos. Muitos ficaram de fora, infelizmente. Essa primeira leva trouxe 13 apenas. Ainda vem por aí mais listas, inclusive de taletnos brasileiros e outros só de filme de terror... ;D

    Davi
    Equipe Central de Cinema

    ResponderExcluir
  9. FALTOU WINONA RYDER!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...