segunda-feira, 4 de abril de 2011

Comencrítica - VIPs

Por Thandara Yung, a convite do Central de Cinema

Entrei na sessão sem nem ao menos saber sobre o que se tratava o filme. Só vi na página do cinemark as palavras: Comédia e Wagner Moura. O ator protagonista me convenceu de cara, e comprei o ingresso por ele. E mais uma vez, a interpretação de Wagner Moura surpreende, impressiona e pende você à tela.

Aos poucos, fui descobrindo a história de Marcelo, que também é Bizarro, ou Drumond, ou Carrera e também é Henrique Constantino. Isso mesmo, o roteiro do filme passa pela história de Marcelo Nascimento da Rocha, um personagem com sérios problemas com a própria personalidade que tenta a todo custo viver em outras realidades e tem uma paixão fixa: a aviação.



O roteiro é meio surreal, Marcelo aplica golpes que ninguém poderia cair. Viaja de graça, finge ser piloto. Durante a sessão, dá até para ficar irritado com as coisas que ele faz e que não faz nenhum sentido funcionarem. Então ele chega ao ápice da surrealidade: vai para o carnaval de recife, para um hotel de luxo e finge ser Henrique Constantino, filho do dono da Gol.

No topo da minha irritação com os absurdos do filme, lembrei de uma história que tinha visto no jornal há alguns anos. Um rapaz qualquer que fingiu ser o filho do dono da Gol, enganou dezenas de celebridade e magnatas e passou quatro dias na farra. Foi descoberto após dar uma entrevista ao programa do apresentador Amaury Jr. Tcharam! Ai está a genialidade de VIPs, é real.

O filme é carregado de uma estética que marca a identidade do diretor Toniko Melo. Tomadas gravadas através do espelho, com o foco invertido e várias cenas subaquáticas dão o que de inovação ao iniciante no mundo dos cinemas. É bom por sair do senso comum.

Sobre o gênero (Comédia), não compre o ingresso esperando um besteirol de piadas (clássicos no cinema nacional). O filme tem ótimas sacadas que arrancam risadas do público. Mas é muito mais um drama existencialista do que uma comédia clássica.

Mais uma vez, Wagner Moura não decepciona e mostra o quão camaleônico pode ser. Em um filme vive 5 personagens completamente diferentes. Vai de adolescente problemático (com uma peruca muito mal feita) a piloto traficante de drogas. Em alguns momentos consegui ver uma sombra de Cap. Nascimento, principalmente nas horas em que ele está discutindo. Mas o ingresso vale, mais ainda, pela chance de ver Moura atuando.

Recomendo.


Sigam a Thandara Yung no twitter!!
@thandyung

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...